Menu Ative-se
Descrição da imagem - com Viviane Gomes

Email to someoneShare on FacebookGoogle+Tweet about this on Twitter

Em resposta ao cartaz feito pelo movimento Defezap, um perfil do Facebook, atribuído a Antony Lopez Delano, divulga o seguinte texto: “Nenhum cidadão de bem, trabalhador, família honesta serão maltratados pelo BOPE ou qualquer outra Policia carioca, apenas um recado para famílias cúmplice da bandidagem e em especial para toda a vagabundagem do Jacarezinho, Manguinhos… Sofrerão um inferno seus bostas. Querem matar Policiais? Então segura o tranco seus desgraçados que o sinal verde já foi dado para agirmos destruindo todos que cruzarem nossa frente. Filhos da puta !!! Covardes !!! Essa noite será o terror, já estamos nas lajes seus desgraçados!!!”
Solicitamos ao Facebook que verifique a autoria desse perfil e impeça a propagação de mensagens que instigam a violência, o revanchismo, o descumprimento da lei e as violações dos direitos humanos. Os problemas do Estado do Rio de Janeiro, e do Brasil de modo geral, em segurança pública são conhecidos internacionalmente. Jornais mostram diariamente como a população que vive em favelas, morros e comunidades pobres do Rio de Janeiro é oprimida e violentada pelo racismo institucional do braço armado do estado.

Entendemos que o Facebook, tem uma responsabilidade nesse processo, pois ao permitir que um perfil falso continue a distribuir esse tipo de mensagem, desnecessária e cruel, valida a opressão, criando nessas comunidades uma atmosfera de preocupações, medo, conflitos, violência, insegurança e abandono. O endereço do perfil é /antonylopezdelano. Pedimos: #ApagueEssePerfil.

DefeZap é um sistema de autodefesa contra esculachos do Estado e produção de informação jornalística com sigilo garantido. O serviço permite o envio de vídeos-denúncias que mostrem violência ilegal cometida por agentes do Estado, como policiais militares, guardas municipais, policiais civis, membros das forças armadas, entre outros. Esse material é recebido pela equipe DefeZap e sua rede de apuração colaborativa. Os vídeos que são enviados para esse sistema são encaminhados às autoridades responsáveis. Elas são cobradas oficialmente, sem que você precise se identificar. Além disso, os vídeos enviados passam a compor um banco de dados que servirá a base da produção de informação jornalística detalhada sobre o problema dos esculachos na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. O número é (21) 99670-1400. As regras estão no site https://www.defezap.org.br.

Em Links e Serviços da Plataforma Alyne você acessa outras instituições de defesa de direitos em todo o Brasil, organizadas por cidade. Acesse: https://alyne.org.br/linkseservicos/.