Menu Ative-se

Glossário - 20/jan/2019

Email to someoneShare on FacebookGoogle+Tweet about this on Twitter

Alyne da Silva Pimentel Teixeira era uma jovem negra, residente na Baixada Fluminense, casada e mãe de uma menina. Estava grávida de 6 meses no dia 11 de novembro de 2002, quando se sentiu mal e buscou tratamento na Casa de Saúde Nossa Senhora da Glória, em Belford Roxo.

Uma série de negligências levaram a morte de Alyne, em 16 de novembro de 2002.

A família entrou com uma ação em Genebra, no Comitê pela Eliminação da Discriminação contra a Mulher/CEDAW em 30 de novembro de 2007, com o apoio de uma organização brasileira – Advocacy – Advocacia Cidadã para os Direitos Humanos, e uma organização dos EUA – Center for Reproductive Rights. Em julho de 2011, o Comitê emitiu um parecer “condenando” (não é um tribunal, mas suas recomendações têm peso e devem ser cumpridas) o Brasil e o Estado do Rio de Janeiro a uma série de medidas de reparação à família e de alterações nas políticas públicas para que se respeite o direito à saúde das mulheres, especialmente as negras. https://alyne.org.br/